Lendas do Bárrio

"Cabeço do Louco"

No Bárrio existia um curioso moinho de madeira, de cúpula giratória. Estava situado num monte a que o povo chama de "Cabeço do Louco". Atribui-se a origem do nome da localidade à seguinte história:

"Era então tudo pertença dos frades de Claraval. Aquele monte estava ao abandono e nada ali se cultivava. Vinham os ventos do "Cachourro", hoje Pederneira e tudo levavam, tudo devastavam.

O Senhor Monge nem tão pouco queria ouvir falar dessa colina. Ninguém se aventurava a passar por aqueles sítios medonhos... O Diabo rondava por ali...

Um dia, certo velho, muito velho, tomou conta daquelas paragens. A sua barba muito longa, anelada e branca, chegava-lhe ao peito. Os cabelos, também níveos, saíam do gorro sem cor. O nome nem ele o sabia!... Esquecera-se com o tempo!... Não dava conversa a ninguém, falava sózinho, barafustava, berrava com os animais, mas niguém, por mais sábio que houvesse ao lume da Terra, o poderia compreender. De dia acartava troncos de árvores para o monte. De noite, fazia covas fundas e plantava-os... até que o vento os viesse derrubar.

O Senhor Monge ordenou-lhe que saísse do seu couto, mas ele não tardou a voltar, procurando abrigo no vale. Durante anos ali esteve, até que um dia, como outro qualquer, um tronco o levou encosta abaixo. Todos lhe chamavam "louco", todos se riam dele, todos o apupavam. Pobre velho, pobre "louco"..."

O que é certo que ainda hoje o lugar conserva o nome "Cabeço do Louco".

 

 

"Lenda de Santa Susana"

Uma tradição que foi muito popular no Bárrio foi a do "Círio do Bárrio" ir às Festas de Santa Susana no Landal. Hoje está em desuso. Pensa-se que a origem desse Círio é muito antiga e diz-se que teria tido início quando um ano de epidemia, o gado bovino da povoação adoeceu e morreu quase todo. Os habitantes do Bárrio, perante tal desgraça, fizeram a promessa de que se algum gado escapasse à doença, iriam num círio a Santa Susana (padroeira do gado). Tal aconteceu e assim terá nascido a tradição.

Fotos do Círio na Galeria de Fotos

Esta fé em Santa Susana assenta na lenda que diz que "num descampado do Landal, há muitos muitos anos, andava um lavrador com a sua filha pequena, lavrando suas terras.

Quando o arado passava por uma oliveira velha, o boi ajoelhava. Foi a filha pequena que descobriu que encostada à oliveira havia uma imagem de pedra, que logo foi reconhecida como sendo de Santa Susana protectora do gado.

É essa pequena imagem de pedra pintada que está actualmente na ermida do lugar de Santa Susana, segundo a tradição.